Equipa

Direção

Tânia araújo

Diretora

Tânia tem 25 anos, é Farmacêutica e o seu sotaque faz jus à terra onde vive, Vila Nova de Gaia. Conheceu o Grão através de uma amiga e, como sempre, decidiu fazer valer a sua polivalência e ingressar em mais um dos muitos projetos nos quais está envolvida.
Partiu para São Tomé, em julho de 2019, determinada a oferecer, todos os dias, um bocadinho de si às pessoas com quem se cruzaria. E assim foi! Com um sorriso imenso no rosto, um olhar atento e uma vontade gigante de ser amor e casa, entregou-se àquela ilha manchada de verde e encaixou-se completamente no espírito “leve-leve” que ali se vive. Depois de 2 meses, é quase impossível reconhecer a Tânia que partiu em missão: aprendeu, de forma muito genuína, que quem dá o que é, irradia o bem da sua existência, semeia-se enquanto bondade e faz-se, ao mesmo tempo, mais e melhor. Regressou para Portugal com uma vontade enorme de continuar a servir e retribuir tudo aquilo que recebeu. Assim, este ano ingressa na estrutura como diretora d’ O Grão.

Carlota campos

Vice Diretora e Coordenadora da Formação

Carlota é uma Gestora de Projetos aveirense de 25 anos. Sempre teve presente consigo o sonho de sair para fora, de se tornar pequena e de viver pelo outro, para que a vida dos que lhe são próximos possa ser um pouco mais feliz, e para que a sua casa deixe de ser uma morada ou uma cidade, mas o mundo inteiro. Sempre com o coração grato e o olhar atento percorreu as ruas e roças de São Tomé em nome do Grão e de Deus. Chega a Portugal cheia de amor, mas acima de tudo cheia de uma vontade inabalável de continuar a sua missão em qualquer terra que os seus pés pisem, de continuar, com toda a sua vontade, a cantar e encantar todo o coração e cantinho a que chegar. Este ano abraça com todo o amor a missão de integrar a estrutura d’ O Grão como responsável de formação e vice-diretora.

José Eduardo Lima, sj

Assistente Espiritual

Diretor da Comunidade de Jesuítas do Porto, o Pe. José Eduardo Lima, sj. – carinhosamente conhecido por Pe. Zeca – é o orgulhoso Assistente Espiritual do Grão desde 2014.

Inês gomes

Tesoureiro e Coordenadora da Angariação de Fundos

A Inês tem 22 anos e é estudante do 5º ano de Medicina Veterinária do ICBAS. Arrastada por uma amiga para a sessão de apresentação do Grão, acabou por se revelar um elemento essencial nas missões de 2019. Partiu com um sorriso gigante e com uma vontade enorme no coração de se entregar a todos os que se cruzaram no seu caminho, contagiando aquela que foi a sua casa durante dois meses, em Guadalupe. Dotada de uma energia sobrenatural, que não se sabe de onde vem, a missão da Inês passa agora por integrar a direção d’ O Grão como tesoureira e responsável da equipa de angariação de fundos.

Formação

ana Isabel Rocha

A Ana tem 27 anos e é Técnica de Manutenção Industrial. Conheceu este projeto de amor através de uma catequista que já tinha feito Leigos para o Desenvolvimento, e assim creceu uma vontade de saber o que era o Grão. Em 2018, partiu em missão para Lifidzi, moçambique, com uma grande vontade de servir e entregar todo o seu amor. Foi em missão que encontrou o verdadeiro sentido de amar. Na viagem de regresso tudo o que prevalecia era a gratidão, para com o Grão, por lhe ter proporcionado esta oportunidade e principalmente a contínua vontade de amar os outros como se dela se tratasse. Este ano, a “Anamalung”, como era conhecida em Lifidzi, fará parte da estrutura, mais concretamente da equipa de formação.  

Bruna Costa

Mana Bruna natural de Oliveira de Azeméis, tem apenas 22 anos e é Farmacêutica. Apesar do seu tamanho (hihihi) tem uma enorme vontade de mudar o mundo, e de fazer dele um lugar tão bom como o seu coração. E foi com essa vontade tão grande que partiu para Benguela onde pensou dar todo o seu amor. No entanto, apercebeu-se que recebeu um amor muito maior do que aquele que era possível dar e todos os dias se sente grata por isso. Este ano, tendo-se percebido que as lágrimas de saudade não a impedem de ver as estrelas, porque as recordações são para a vida integrará a equipa de formação onde irá dar continuidade ao seu maior lema: o amor.

Inês sá jorge

Inês, ou Estrela para a família Grão, está no último ano do Mestrado em Biotecnologia para as Ciências da Saúde. Veio para o Grão por insistência de uma amiga e tem agora a certeza de que esta foi a melhor vontade que lhe fez. Completou em Lifidzi, Moçambique, 25 anos de uma vida cheia de vontade de ser e dar mais aos outros. Partiu em Julho de 2018 com a mala cheia de purpurinas e Amor para dar e só não imaginava que ia voltar com mais do quíntuplo no coração. Foi nesta terra que sentiu a felicidade e a fé no seu auge e na sua forma mais pura e, com a certeza que quer voltar, deixou lá, novamente, apenas o sol a brilhar. Este ano integra a equipa de formação.

rita vieira

Rita, auto-denominada mana Ritoti, é mestre em Biotecnologia para as Ciências da Saúde mas o seu maior sonho passa pelas pessoas. Aos 23 anos, decidiu sair da sua zona de conforto e aventurar-se neste projeto, percorrendo um caminho no sentido da sua vontade de estar e servir. Em Julho, partiu para Benguela, em Angola, onde quis ser, estar e dar mais e onde, mais do que em qualquer lugar, se sentiu completamente preenchida por todo o amor que a rodeou. Conheceu um lugar que não é só um lugar, é uma casa feita de abraços. É uma casa que ficará sempre guardada no seu coração. Este ano, será testemunho da sua fé, que se revela no seu amor pelo outro, da sua simplicidade em viver e da sua forma especial em fazer o outro sorrir, integrando a equipa da formação.

Angariação de Fundos

Beatriz Pinho

A Bia tem 23 anos e é Financeira. Foi com a Bruna que decidiu conhecer o projeto que mudou a sua vida. A sua perceção rapidamente mudou e percebeu que este não afetava apenas 2 meses, mas sim a sua maneira de viver. Foi em Lifidzi que descobriu a sua força interior (a força de um touro) que leva tudo à frente e que faz com que ninguém desista de nada. Descobriu que para amar basta estar e foi isso que mais fez em missão. Amou tudo e todos com toda a sua força. Em Moçambique era conhecida como “Anamoyo”, que significa uma pessoa cheia de vida e não podia ser melhor apelido para ela. Sendo a Bia uma pessoa cheia de vida decidiu dedicar um pouco dela aceitando fazer parte da equipa de angariação de fundos.

catarina andré

A Catarina, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, tem 24 anos e um grande orgulho em ser lousadense. Cativada por amigos que já haviam feito o percurso Grão, decidiu que estava na altura de dar uma oportunidade ao bichinho que nela fizeram nascer. Ao longo do ano, alimentou-o com a sua dedicação e vontade de servir até atingir uma dimensão que a levou a partir para Guadalupe, em julho de 2019. Em missão, o amor que tem dentro de si, não passou indiferente aos coraçõezinhos de quem a rodeava e o seu nome era gritado, com todo o carinho, por todas as crianças que por ela se cruzavam. Este ano integra a estrutura d’ O Grão, pertencendo à equipa de angariação de fundos.

David silva

O David (ou Dave o tesoureiro) como carinhosamente é tratato, tem 24 anos e é engenheiro mecânico de profissão. Empenhado na missão ao outro, amante da natureza e fotografia, cativa todos quanto se cruzam com ele. O Dave é gargalhadas, é casa e deçu paga bô. O Dave é pai de campo e exemplo do pilar comunidade. O Dave é grão. E ser grão é ter um coração cheio de amor e caridade e aí deixar que Deus habite. Este ano integra a equipa de angariação de fundos.

Teresa vaz

A Teresa tem 26 anos e é Engenheira Biomédica. No verão de 2017 partiu para o lugar dos sorrisos mais simples e genuínos – Benguela, Angola – e aí deixou a sua marca: uma marca pautada pelo amor. Detentora de uma alegria contagiante de um coração que não se esgota na dedicação ao outro, foram muitos os corações em que tocou, mas também lá deixou um bocadinho do seu. Hoje são muitas as saudades que sente do lugar e das pessoas que a fizeram sentir em casa e experimentar a felicidade na sua essência mais pura, mas há um sentimento que predomina: a gratidão. Para dar continuidade a este projeto e com a mesma dedicação com que o iniciara, integra hoje a equipa de angariação de fundos. 

Comunicação e Imagem

CAROLINA NETO

Carolina desde cedo sentiu uma vontade imensa de ajudar o próximo, motivo pelo qual escolheu seguir a área da Medicina. Esta vontade levou a que, com 22 anos, tenha encontrado no Grão uma casa onde viu a possibilidade de tornar este desejo mais real. Ao longo do ano de formação, demonstrou a sua dedicação ao projeto, que contou sempre com a sua palavra aconchegante e a sua gargalhada fácil. A sua partida em missão, foi o culminar de um percurso de entrega e Benguela foi o lugar que calorosamente a recebeu. Nesses dois meses, abriu o seu coração ao outro, tornando cada dia uma nova oportunidade de amar. De volta a Portugal, sente que a sua missão continua cá, pelo que, este ano,  vai integrar a estrutura do Grão na equipa de comunicação e imagem.

Francisca Carneiro

A Chica tem 23 anos e é estudante de arquitetura. Foi numa conversa com a Lota que decidiram que este ano tinham de tentar fazer voluntariado em África e por isso vieram juntas para esta jornada, que é o percurso Grão. Rapidamente, as suas motivações mudaram, a sua fé cresceu e ansiava por chegar a Lifidzi, em Julho de 2018, para amar e servir aquela comunidade com toda a sua energia. Lá percebeu que nunca ia voltar a ser a mesma Chica, que o amor que sentia transbordava e o que recebia era ainda mais imenso. Todos à volta dela sentiam-se “on top of the world” e era impossível ficar indiferente à sua energia e felicidade. Como o seu nome moçambicano “Anangozo” diz, mais agradecida não podia estar e voltou com uma vontade de amar o outro e servir sem olhar a quem e, pronta para colocar toda a sua energia nas novas missões, começou já por aceitar o desafio de pertencer à equipa de comunicação e imagem.

jorge marques

O Jorge tem 25 anos, leva Gaia no seu peito e é professor. Embarcou no Grão de uma forma tão aleatória mas agora percebe que foi das melhores decisões da sua vida. O Grão fê-lo ver o mundo de uma forma diferente  e mostrou-lhe lugares, pessoas e vivências que nunca irá esquecer. Partiu para Moçambique onde em Lifidzi, – juntamente com três “azubgos” – se permitiu entregar, crescer e agradecer. Contagiou com a sua boa disposição e até arrancou os sorrisos mais tímidos. Vive  com a certeza de que as suas missões são sempre renovadas e com a vontade de ser um professor do Mundo e tornar o direito à Educação em algo justo, equitativo e repleto de amor. Este ano integra a equipa de comunicação e imagem.

Relações Externas

rita gaspar

A Rita tem 24 anos, é estudante de Medicina e é conhecida pelo seu forte sentido de responsabilidade e a rápida capacidade de resolver problemas. Aventurou-se no Grão a convite de uma amiga e muito rapidamente percebeu que o seu caminho passava por aqui, não só pela sua vontade enorme de servir, como também pelo seu amor ao próximo. Partiu para Guadalupe – São Tomé e Principe – onde descobriu que o amor se vê nas coisas mais simples e que “casa também pode ser um estado de espírito”. Hoje, ao olhar para esses dois meses, predomina um coração leve-leve de mãos dadas com um grande dêçu paga bô! Este ano, para continuar a tocar os corações daqueles que se aventurarem nesta viagem, integra a equipa de relações externas.

Sara oliveira

Sara tem 23 anos e é Mestre em Ecologia. Teve sempre presente a vontade de fazer voluntariado em África e foi através de uma amiga que conheceu o Grão. O seu espírito aventureiro e calmo, aliado ao sentido de humor e desejo em servir o outro, levou-a até a Guadalupe, em São Tomé e Príncipe. Aqui espalhou a sua energia e marcou muitos sorrisos com a sua essência. Este ano continua a sua entrega ao projeto na equipa de relações externas.

Voluntariado

GUILHERME OSSWALD

O Mano Gui tem 21 anos, está no 3º ano do curso de Engenharia Mecânica e é a “mascote” do grupo. Num ano que pensou estar pouco preenchido e desafiado pela irmã a descobrir um pouco mais do mundo que espreita lá fora, decidiu embarcar nesta jornada para experienciar, na primeira pessoa, o verdadeiro significado de Ser. Ao longo do ano, deixou evidente a sua generosidade, o seu excelente humor, a preocupação pelo próximo e a incrível capacidade de nunca dizer não a nada. Partiu para Benguela em julho de 2019 e prometeu não deixar ninguém indiferente à sua curta, mas gigante, passagem. “Fazer do mundo um sítio um bocadinho melhor” é o lema que transcreve nas pequenas escolhas e ações que pratica todos os dias, aceitando por isso continuar a dar um pouco mais de si aos outros e a um projeto que mudou a sua forma de estar perante a vida. Assim, este ano, abraçou o desafio de integrar a equipa de voluntariado.

Rui Pedrosa

Rui Pedrosa ou mano Djodja, é um jovem de 26 anos inconformado com o mundo e embarcou com o Grão na aventura da sua vida. Simples e descomplicado de natureza, foi de Benguela que trouxe um dos maiores bens que hoje tanto estima, o seu bigode com pontas enroladas. Foi também em Benguela e com o amor inevitável que por lá anda, que aprendeu que o importante é “estar presente na vida de quem está presente”. Este ano integra a equipa de voluntariado.